Archive for the ‘Marcos geodésicos’ Category

O marco geodésico de Coca Maravilhas

11 Dezembro 2014

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Perdidos nos campos, a maioria dos marcos geodésicos são de difícil deteção e até de difícil acesso, mas a exclusividade dessa característica não é rural: nas nossas cidades, a maior parte dos marcos geodésicos foram destruídos ou estão colocados em infraestruturas cujo acesso está vedado ao público.
Um exemplo é o deste marco geodésico em Portimão: foi colocado no topo de um reservatório de águas, na zona da Boavista, em pleno bairro de Coca Maravilhas, a cerca de 30 metros de altitude.
É sobranceiro a grandes empreendimentos comerciais, como o Aqua Portimão, entre outros. E, apesar de não ter nome oficial, marca a paisagem urbana da grande cidade barlaventina do Algarve.
A Câmara Municipal de Portimão ornamentou o reservatório com muito bom gosto, o que distrai os menos atentos. No topo, mesmo no topo, lá está o marco geodésico… servindo de base a algumas antenas e a um para-raios.

Toponímia biográfica…

6 Dezembro 2014

Foto João Xavier em Vale de Cambra

Já perdi a conta ao número de tipologias diferentes de placas toponímicas que tenho fotografado.
Há em pedra, em esmalte, em latão, em azulejo, em cimento, com ilustrações, sem ilustrações, coloridas, monocolores, minúsculas, desmesuradas, aparafusadas, embutidas, etc., etc.. Variedade não falta.
Há umas que até abreviaturas usam, para poupar tinta e espaço; e há outras que são autênticas biografias!
É um exemplo deste tipo que aqui hoje trago. Encontrei esta placa toponímica em Vale de Cambra, dedicada ao Comendador Arlindo Soares de Pinho.
Para sabermos quem foi aquele empresário benemérito, a placa toponímica inclui uma biografia em 14 linhas!!!
Nem tudo ao mar nem tudo à terra, como dizia o outro, mas, realmente, em muitas placas toponímicas que se limitam ao nome deveriam as nossas autarquias acrescentar umas palavrinhas sobre o homenageado e, já agora, a sua época.
O saber não ocupa lugar.

O que queres fazer com a tua vida

19 Novembro 2014

João Marinho na montanha

Grupos lusoespanhóis de salvamento andam há duas semanas à procura de João Marinho nas Astúrias, mais propriamente nos Picos da Europa.
Encarando a aventura como uma adição, aquele montanhista português meteu-se sozinho por uma zona onde sobrevivem lobos e ursos e onde a neve é mais que muita.
Há que ter cuidado nos limites que procuramos. Eu, no que toca a altitudes, prefiro ficar pelos marcos geodésicos. E mesmo para estas aventuras há percursos e percursos…
Do João Marinho deixo aqui a última mensagem que ele publicou na net antes de ser dado como desaparecido:
«Nothing is as important as passion. No matter what you want to do with your life, be passionate.»
(«Nada é tão importante como a paixão. Seja o que for que tu queiras fazer com a tua vida, sê apaixonado.»)

Duas toneladas de haxixe na Cumeada

12 Novembro 2014

Foto João Xavier - Marco geodésico da Cumeada

Um grupo de 3 espanhóis, 1 holandês e 1 romeno foi capturado na Cumeada, perto de Tavira, quando tinha um camião betoneira carregado com duas toneladas de haxixe para exportar para Espanha!!!
A luta do gato e do rato continua no tráfico de drogas e vale tudo na imaginação dos traficantes, para tentarem iludir quem trabalha para os caçar, sabendo de antemão que há por aí muita gente que parece viver de trabalho honesto mas enriquece naquela suja atividade marginal de uma economia paralela que vale muito dinheiro…
O enorme carregamento e a arte patenteada fizeram muita gente deslocar-se ao local.
Ali perto, resiste ainda o marco geodésico da Cumeada, construído sobre o que resta do velho moinho de vento, a 57 metros de altitude e a cerca de 500 metros da Estrada Nacional 125.
Estive lá em abril de 2010 e entretive-me a fotografar então uma colónia de orquídeas selvagens.

As Barreiras Vermelhas

29 Abril 2014

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Aproveitei uma visita recente a Aljezur, para procurar o marco geodésico das Barreiras Vermelhas.
Virei na estrada para a Arrifana e parei depois de percorrer 2,4 Km. Nada.
Fui mais adiante. Podia ter-me enganado nas medições feitas no mapa militar. Nada.
Voltei para trás. No ponto que eu considerava correto, está um reservatório de água da empresa Águas do Algarve. Comecei por circundar toda a edificação. De repente, ao observar a construção do ano 2006, a 143 metros de altitude, afinal, lá estava ele: no topo do edifício, o que resta do marco geodésico das Barreiras Vermelhas!
O cume do cerro está completamente colonizado por infraestruturas: além do reservatório, há duas grandes antenas de telecomunicações. Por ali, os terrenos são um maná para quem gosta de geologia: calcários gresosos, areias vermelhas ferruginosas, xistos paleozoicos, feldspatos, quartzos leitosos, calcarenitos, grauvaques, conglomerados diversos, etc., etc. …
Outrora senhores dos pontos mais altos e mais invejados, muitos marcos geodésicos vão sendo atingidos pelas marcas dos novos tempos… mas vale a pena, vale sempre a pena partirmos à descoberta!

O marco geodésico de Vicente Longo 1

19 Abril 2014

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Quero hoje sugerir uma subida ao marco geodésico de Vicente Longo “1”.
O marco geodésico de Vicente Longo “1”, que integra a atual rede geodésica nacional, situa-se a 81 metros de altitude, em Vicente Longo, a cerca de 3 km do Azinhal.
Para lá chegarmos, devemos percorrer o IC 27, sair na direção do Azinhal e, depois de atravessar a aldeia para norte, continuar pela Estrada Nacional 122, que só deixaremos para virar à direita pela Estrada Municipal para as Choças e Almada de Ouro (estrada que entronca com a Estrada Nacional 122 junto à ponte do Ribeiro do Tio Filipe).
Praticamente sobranceiro ao rio Guadiana, o marco geodésico de Vicente Longo “1”, situando-se num monte junto à estrada, não é visível a partir dela, mas sim a partir do marco geodésico de Vicente Longo “2”, atualmente fora da rede geodésica nacional. Pode estacionar o carro no sopé daquele monte, caminhar por um caminho do lado oposto da estrada e seguir não em cortamato mas sempre por esse caminho de cerca de 2,5 metros de largura.
Do topo do marco geodésico de Vicente Longo “1” observa-se uma linda panorâmica a 360 graus, em que se destacam a aldeia de Almada de Ouro, os terrenos previstos para a implantação do aldeamento turístico das Choças, o rio Guadiana, a Ponte Internacional do Guadiana, o oceano Atlântico, o parque eólico de Monte Gordo (em Espanha) e ainda algumas povoações como o Azinhal e as Murteiras, por exemplo.
A serrania envolvente é dali vista com esplendor, com a vegetação silvestre e muitos xistos, grauvaques e quartzos.
No regresso, volte a passar pelo Azinhal e estacione aí o carro para no Largo do Mercado ou no Largo Santa Bárbara retemperar forças…

O marco geodésico do Espigão

5 Março 2014

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Quero hoje sugerir uma subida ao marco geodésico do Espigão.
Podemos lá chegar a partir da aldeia da Junqueira, a norte de Castro Marim, mas aconselho outro percurso: entre na urbanização turística da Quinta do Vale (onde predomina um campo de golfe) e siga pelo limite esquerdo.
Irá encontrar um aglomerado de moradias em construção, com rua sem saída.
Estacione aí e procure na encosta parcialmente destruída um caminho pouco íngreme que lhe dará acesso ao marco geodésico junto da vedação. Os proprietários da urbanização até cobriram o acesso com brita que nos facilita a subida.
Chegado ao marco geodésico do Espigão, a 44 metros de altitude, você está sobranceiro ao rio Guadiana e aos seus sapais.
A paisagem é bonita, cheia de verdes e azuis que deleitam qualquer fotógrafo. Diga como dizia o outro: «Já vejo terras de Espanha…»
Depois da descida, aproveite para visitar propriamente a Quinta do Vale e apreciar como ali está a ser transformada a paisagem da serra algarvia…

O marco geodésico do Mocho

23 Dezembro 2013

Foto João Xavier - Marco geodésico do Mocho - 310m

Quero hoje sugerir-lhe uma subida ao marco geodésico do Mocho, no pobre nordeste algarvio.
É fácil lá chegarmos: situa-se em Martim Longo, perto da Escola Básica Integrada.
A partir das imediações daquele estabelecimento escolar (o maior de todo o concelho de Alcoutim…), atravessamos campos, saltando algumas valas e fugindo a alguns arbustos… e a encosta não nos oferece obstáculos de monta.
Para subir mesmo ao marco geodésico do Mocho, tem de ser cauteloso com as pedras do velho moinho onde ele foi implantado, mas a 310 metros de altitude a paisagem compensa, com a beleza natural da peneplanície e da serrania… e o povoamento racional do território.
Aproveite a viagem para apreciar a boa gastronomia serrana, o artesanato que imita traços ancestrais, o inigualável pão de Martim Longo e a Igreja matriz de Martim Longo (reedificada em 1518…).
Por aquelas paragens, a quietude não é propriamente zen, porque está associada ao abandono que tem martirizado o dinamismo social e económico da zona, mas é gostosa para quem vai marcado por quotidianos citadinos.

O marco geodésico do Malhão

12 Dezembro 2013

Foto João Xavier - Marco geodésico do Malhão 346m

A poucos quilómetros de Faro, diversos pontos da serrania oferecem-nos paisagens sublimes de que, absurdamente, muitos farenses ainda não desfrutaram.
Quero hoje aqui deixar o convite para uma subida ao marco geodésico do Malhão.
O acesso não está sinalizado e não é de fácil descoberta, mas eu resolvi o problema acicatado por um aluno que um dia me contou que tinha ido fazer uma caminhada até ao cerro do Malhão…
Foi como se me tivesse criado água na boca ao falar de uma guloseima…
A primeira base de referência é Estoi, a bonita e histórica aldeia situada a uns 9 km da capital algarvia.
Atravesse a aldeia e saia na direção do Azinheiro e de Azinhal e Amendoeira, mas ao chegar à Cruz da Espragueira largue a estrada e dê corda aos sapatos por um caminho que sobe para a esquerda.
A caminhada é compensada pela paisagem sublime a 346 metros de altitude.
Dali podemos observar muitos quilómetros do litoral algarvio, com a Ria Formosa, as cidades, os campos e o mar aos nossos pés. Sublime.

O marco geodésico das Pedras

2 Dezembro 2013

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Quero hoje sugerir um passeio ao Alentejo e uma subida ao marco geodésico das Pedras.
Na estrada entre Almodôvar e Mértola passamos por uma aldeia chamada São João dos Caldeireiros.
Deixe aí mesmo o carro e siga pela estreita estrada alcatroada que está sinalizada com a indicação «Penilhos». Sim, a daquela escola onde os pais acusaram a professora de ter feito um vídeo porno com material didático (e que eu já reportei aqui há dias)!…
A cerca de 3 km de São João dos Caldeireiros, já você observa (do lado esquerdo da estrada) o marco geodésico das Pedras.
Prossiga pelo caminho de terra. Mais adiante verá que tem de abandonar esse caminho a seguir por outro novamente à esquerda para subir o monte e chegar a 179 metros de altitude.
A subida não é íngreme e a paisagem alentejana oferece-nos do topo uma imensidão de território para contemplar. Detenha-se a olhar a Serra do Álvaro com os seus proeminentes afloramentos rochosos.
Curta o bom Alentejo.


Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.