O marco geodésico dos Corujos

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Subi recentemente ao marco geodésico dos Corujos (um nome serrenho que José Saramago achou símbolo do interior agreste algarvio quando por ali passou).
A 190 metros de altitude, a mãe Natureza esperava-me com uma prenda: uma série de maios pequeninos floridos.
Os maios pequeninos são umas plantas vivazes silvestres que adoram terrenos secos e passam despercebidas durante muitos meses e escondidas nos pequenos bolbos muitos mais, mas exibem flores de um azul berrante durante cerca de uma semana. Repare no pintalgado junto ao marco geodésico.
Há também quem lhes chame pés de burro ou pés de burrico. Os gregos chamam-lhes lírios de floretes e em Espanha são conhecidos como lírios espanhóis. O seu nome latino é «Gynandriris sisyrinchium».
Para chegar ao marco geodésico dos Corujos, pode ir pelo IC 27, no Sotavento do Algarve, saindo na estrada indicada para Azinhal e Sentinela. De seguida, vira para Sentinela, passa por esta aldeia e continua pela mesma estrada serrana. Passados poucos minutos, entra em Corujos. A sul da estrada avista o marco geodésico, acessível por uma vereda de cerca de 100 metros.

Anúncios

%d bloggers like this: