Promontório de Sagres – Património Europeu

foto sul informação - promontório de sagres

O Algarve está em festa: o promontório de Sagres, o promontório sagrado, é já, oficialmente, património europeu.
A ponta sudoeste da Península Ibérica é um ponto de excelência do Algarve, não só pela carga histórica que lhe marcou o passado das Descobertas como opção do Infante D. Henrique: basta lá irmos para percebermos que ali paira um ambiente místico especial.
Além do Promontório de Sagres (Algarve), a lista que a União Europeia oficializou em 2015 inclui o sítio pré-histórico Neanderthal e o Museu Krapina (Croácia), o Castelo Premyslid e o Museu Arquidiocesano de Olomouc (República Checa), o Palácio Imperial (Áustria), o Conjunto Histórico da Universidade de Tartu (Estónia), a Academia de Música Franz Liszt (Hungria), o Mundaneum (Bélgica), o Cemitério nº 123 da Frente Oriental da II Guerra Mundial (Polónia) e o Bairro Europeu de Estrasburgo (França).
Anteriormente, outros sítios e documentos europeus estavam já reconhecidos como está a partir de agora o promontório de Sagres: o centro da antiga Atenas (Grécia), o Parque Arqueológico de Carnuntum (Áustria), a Abadia de Cluny (França), os Arquivos da Coroa de Aragão (Catalunha),a Casa da Grande Guilda (Taline, Estónia), a Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (Portugal), a União de Lublin (Polónia), a Paz de Vestefália — Münster e Osnabrück (Alemanha), a Constituição de 3 de maio de 1791 (Polónia), o Castelo de Hambach (Alemanha), a Carta de Lei de Abolição da Pena de Morte (Portugal), a Residência de Estudantes de Madrid (Espanha),o Palácio da Paz (Holanda), o Kaunas de 1919-1940 (Lituânia),o Hospital Franja Partisan (Eslovénia), o Camp Westerbork (Holanda), a Casa Museu Alcide de Gasperi (Itália), a Casa Robert Schuman (França),o histórico estaleiro de Gdańsk (Polónia) e o Parque Comemorativo do Picnic Pan-Europeu (Hungria).
A lista é exaustiva e serve para percebermos que o estatuto agora conseguido «não é nada do outro mundo» e … até já deveria ter vindo mais cedo.
Nesta luta tem de ser parabenizada a minha prezada amiga Alexandra Gonçalves, atual diretora regional da cultura. A sua ação mostra que precisamos de quem saiba, queira e possa puxar os holofotes para o Algarve. Só assim assumimos formalmente o nosso potendial de excelência.
Sagres tem de ser reconhecido, sem demoras, Património da Humanidade.


%d bloggers like this: