A pressa das árvores e o desleixo das pessoas

KODAK Digital Still Camera

A forma como são geridos os espaços públicos marca muito a ideia que temos de uma cidade.

É imperioso que os serviços dos municípios e das freguesias garantam a limpeza e a manutenção dos espaços que são utilizados pelos cidadãos.

É evidente que as árvores são seres vivos. E quem escolhe as árvores das nossas ruas deve ter em conta qual costuma ser a evolução das espécies à medida que os anos passam.

Quando o crescimento das árvores é mais rápido que a requalificação dos espaços anexos, estamos perante desmazelo e falta de brio.

O exemplo hoje fotografado é de uma árvore na urbanização que começou por ser batizada de «urbanização das laranjeiras» e atualmente toda a gente refere como urbanização do Pingo Doce da Penha, em Faro.

Ali estão sedeadas estruturas de grande movimento da Caixa Geral de Depósitos e dos CTT, além de diversos outros serviços e estabelecimentos comerciais, por exemplo.

Pena é que, em vez de apresentar passeios cuidados e limpos, aquela zona ostente pisos deteriorados onde é fácil tropeçar e onde qualquer um pode perceber que muito trabalho está por fazer…

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: