Archive for Julho, 2017

É bom ter uma casa na incosta…

20 Julho 2017

foto joao xavier - sitio da incosta

Uma encosta é um terreno inclinado entre a base e o cume de uma elevação da crosta terrestre.

Uma incosta é uma espécie de encosta mal entendida por quem não sabe português.

No Algarve, é cada vez mais fácil encontrarmos pontapés na ortografia… mas a rotina não impede que alguns exemplares nos deixem «encantados».

É verdade que a criatividade tomou conta da linguagem e eu até aplaudo esse enriquecimento da oralidade, da escrita e do vocabulário.

Diferente é a problemática, quando é a ignorância que está por detrás das palavras «novas».

O caso que eu fotografei no barrocal algarvio é mais um dos que derivam da colonização que se verifica em muitos núcleos. Sejam ingleses, holandeses ou alemães, os novos cidadãos algarvios por adoção precisam muitas vezes de quem os ajude a escrever…

 

Anúncios

Os ciganos, o ostracismo e a xenofobia

19 Julho 2017

Foto João Xavier - Ciganos

André Ventura, professor universitário e grande adepto do futebol, candidata-se pelo PSD a presidente da Câmara Municipal de Loures.

Saltou para a ribalta no passado dia 17, ao afirmar que os ciganos têm de interiorizar o Estado de Direito e vivem quase exclusivamente de subsídios do Estado.

As declarações, eivadas de preconceito, ficam mal a quem quer ser autarca e desencadearam uma polémica nacional que aponta ao jovem traços de xenofobia e racismo.

O CDS foi o 1º a demarcar-se, abandonando a coligação que se aprestava para concorrer ao ato eleitoral que se aproxima.

Os ciganos, como etnia que prima por não dizer amém a todas as modas ocidentais, são muitas vezes vistos como gatunos e violentos. E nos tempos que correm acresce também a reprodução fácil que colide com a miserável taxa de natalidade que generalizámos.

Quando comprei o meu primeiro apartamento, não gostei de ver ao lado um acampamento cigano. Foi um erro que depressa corrigi. Os ciganos são bons vizinhos.

Depois, tive várias turmas com ciganos e aproveitei para conhecer melhor a história e a cultura cigana. Aprendi a valorizar as diferenças e a questionar o turbilhão de modernidade que nos faz abdicar de valores ancestrais.

É verdade que muitos ciganos estão a sedentarizar-se e a assimilar modos de vida que rompem de vez com as suas tradições. Mas os que não os seguem não têm de ser ostracizados.

Os ciganos são pessoas com direitos e com deveres e não têm de abdicar de modelos de vida por imposição alheia.

É na diversidade que nos enriquecemos.

 

A pressa das árvores e o desleixo das pessoas

18 Julho 2017

KODAK Digital Still Camera

A forma como são geridos os espaços públicos marca muito a ideia que temos de uma cidade.

É imperioso que os serviços dos municípios e das freguesias garantam a limpeza e a manutenção dos espaços que são utilizados pelos cidadãos.

É evidente que as árvores são seres vivos. E quem escolhe as árvores das nossas ruas deve ter em conta qual costuma ser a evolução das espécies à medida que os anos passam.

Quando o crescimento das árvores é mais rápido que a requalificação dos espaços anexos, estamos perante desmazelo e falta de brio.

O exemplo hoje fotografado é de uma árvore na urbanização que começou por ser batizada de «urbanização das laranjeiras» e atualmente toda a gente refere como urbanização do Pingo Doce da Penha, em Faro.

Ali estão sedeadas estruturas de grande movimento da Caixa Geral de Depósitos e dos CTT, além de diversos outros serviços e estabelecimentos comerciais, por exemplo.

Pena é que, em vez de apresentar passeios cuidados e limpos, aquela zona ostente pisos deteriorados onde é fácil tropeçar e onde qualquer um pode perceber que muito trabalho está por fazer…

 

Uma Cabrita a agitar as águas

17 Julho 2017

foto joao xavier - cartaz de sao cabrita

No concelho de Vila Real de Santo António, o presidente quer ir curtir a música e já sugeriu uma sucessora. Para a candidatura socialdemocrata à autarquia, aparece a São Cabrita, que de entrada gerou logo polémica.

A contestação surgiu, porque ao lado dos painéis eleitorais da Cabrita estavam painéis municipais com uma listagem de obras feitas.

Houve quem protestasse e os cartazes municipais já foram substituídos.

Para melhor percebermos a curiosidade, podemos esclarecer que a São Cabrita é mais conhecida como Professora São e é uma algarvia marafada nascida há 50 anos na cama da avó Valentina, na (então) vila pombalina.

O seu nome verdadeiro é Maria da Conceição Cipriano Cabrita.

Diplomou-se em biologia, mas começou por ganhar a vida como professora de biologia/geologia, o que a fez dar aulas em algumas escolas algarvias.

Meteu-se na política e há 12 anos que é vereadora da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, detendo atualmente os pelouros da educação, da cultura, do desporto, da ação social, da saúde, dos recursos humanos, do emprego e dos transportes (ufa!).

Sonha agora ser mais uma mulher-presidente-de-câmara no Algarve. A ver vamos.

A falência da pediatria em Portimão

16 Julho 2017

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

«Hoje, não há atendimento por Pediatra na Urgência de Pediatria. O atendimento será realizado por Médicos de Clínica Geral.»

Assim, sem tirar nem pôr, começa um aviso afixado no Hospital de Portimão.

O «hoje» não é pontual: serve para outros dias! Segundo a Administração do Centro Hospitalar do Algarve, a referida Urgência de Pediatria é assegurada diariamente, em cada turno, por 2 médicos de clínica geral!

Ao que isto chegou!

 

A terceira idade e o PIB

15 Julho 2017

foto joao xavier - mama madura ao sol

Por muito que os políticos nos queiram fazer lavagens de cérebro com teorias e saques às pensões de reforma, cada vez há menos portugueses de idade superior a 55 anos a trabalhar!

Parece mentira, mas, ao que dizem estatísticas recentes, é verdade.

As pessoas consideram que mesmo com uma pensão ratada é preferível viverem livres do que acorrentadas a uma profissão. E fazem muito bem. A vida são 2 dias e nunca se sabe quando é que chega o último capítulo do livro que estamos a escrever…

Uma prestigiada consultora internacional, a PwC, considera que, se Portugal invertesse esta tendência, o nosso PIB subiria 6%. E o pessoal a lixar-se para isso: desde o ano 2003, o número de trabalhadores com idade superior a 55 anos tem vindo sempre a decrescer.

É verdade que a qualidade de vida perde uns pontos em termos capitalistas e de consumismo. Mas a liberdade não tem preço.

Bem mais grave do que esta realidade é a falta de renovação geracional. A esperança média de vida não tem parado de crescer e, perante a natalidade tão deficitária, a população começa a ser notoriamente envelhecida.

Consta que a Islândia é o país que melhor integra os mais velhos no mercado de trabalho. Mas não vale a pena os políticos tugas tentarem imitar a estratégia islandesa: a gente não cai nessa.

 

O Olhanense fora de Olhão

14 Julho 2017

foto joão xavier - estádio josé arcanjo cheio

Os conflitos entre as SAD e os clubes vão sendo cada vez mais e cada vez piores.

No Algarve, tivemos na época passada uma crise terrível no Olhanense, que chegou a motivar a chamada da polícia.

O atrito não terminou e na imprensa desportiva já constou que em 2017/18 até é possível o Olhanense jogar fora de Olhão (nos jogos «em casa»), porque a cedência do Estádio José Arcanjo não está a ser pacífica entre clube e SAD.

O estádio pertence ao clube e a SAD tem que lhe pagar uma mensalidade para o utilizar. A mensalidade já foi reduzida, mas mesmo assim, e perante a descida ao Campeonato de Portugal, a SAD considera a quantia exagerada.

Se não houver acordo, o impensável vai acontecer.

 

As cativações e a austeridade

13 Julho 2017

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Quando governou a «direita», a austeridade foi tema quotidiano para o poder e para a oposição.

Agora que governa a «geringonça», descobrimos afinal que a austeridade mudou de nome e chama-se «cativação».

A saúde oficial, por exemplo, vai tendo rutura de stocks a todo o instante, a par com a falta de pessoal. Porquê? Basicamente, porque o ministério ordenou cativações de despesas…

Eu há muito que tinha percebido que a austeridade continuava. Pelos cortes nos rendimentos, pelas falhas nos serviços públicos, pelos congelamentos da progressão das carreiras, etc..

O povo, obviamente, está a lixar-se para tanta austeridade e vai remediando as sensações de empobrecimento cortando nas poupanças (os índices de poupanças dos tugas nunca foram tão baixos…).

Reparem só nesta jovem que eu fotografei numa praia algarvia. Até já lhe cativaram parte do tecido…

Não vale a pena chorar: assim até absorve mais vitamina D…

 

Corrupção tuga com cotação internacional

12 Julho 2017

foto joao xavier - cidade dos pequeninos

Uma consultora, a Ernst & Young, considera Portugal o 5º país mais corrupto do mundo!

Não temos, obviamente, dados que nos permitam dizer que o país X ou Y é mais corrupto que Portugal. Mas um estudo destes não cai do céu aos trambolhões.

O que sabemos é que o cantinho à beira-mar plantado tem muita gente sabida e muita gente a querer amanhar-se à pala do alheio.

Recentemente, tivemos no Algarve uma overdose de notícias sobre uma investigação feita em Pera: um casal ter-se-á abotoado com mais de 90 mil euros, aproveitando a gestão de uma instituição de solidariedade social.

Episódios mais ou menos ridículos também vão aparecendo na imprensa, seja com agentes das forças de segurança seja com pessoal das autarquias locais.

Uns vendem-se por uma nota, outros sujam-se por uma fortuna.

Há de tudo, porque a moral já teve melhores dias.

 

A Soalheira escondida

11 Julho 2017

foto joao xavier - soalheira escondida

De repente, você quer virar à direita, mas não sabe para onde vai. A placa está ali… mas a alfarrobeira também!

As árvores gostam de crescer… e, no caso das alfarrobeiras, o crescimento é sempre bem vindo, pois a produção de alfarrobas aumenta e a capacidade de absorção do carbono também!

Há ali, contudo, um problema. Um problemazito…

As alfarrobeiras crescem mais depressa do que seria conveniente para os serviços que gerem as nossas estradas!

Crescem tão depressa que os serviços não têm capacidade de resposta!

A placa em causa situa-se em São Romão (concelho de São Brás de Alportel) e indica a direção para a Soalheira.

Não é uma placa muito necessária: no Algarve, para apanharmos uma soalheira não temos de ir até à Soalheira…