Agosto a gosto – IV

8 Agosto 2017

KODAK Digital Still Camera

Um dia destes, ao chegar à praia da Ilha do Ancão, deparei com a proibição a animais.

Voltei para trás.

Eu sou um animal. – pensei.

Só quando encetei o caminho de regresso corrigi o pensamento.

Eu já ganhei raízes nisto. Se ganhei raízes, sou uma planta. Logo, posso entrar.

 

Bordoada de primeira em Portimão

7 Agosto 2017

KODAK Digital Still Camera

O Portimonense iniciou hoje a sua 15ª época primodivisionária.

Com este regresso da 1ª Liga ao Algarve regressaram também as vitórias algarvias (precisamente a 531ª), pois os barlaventinos, estando a perder ao intervalo, deram a volta ao resultado na 2ª parte.

O desafio ficou marcado pelo excelente poderio de reconquista da turma de Vítor Oliveira, mas também pela violência ocorrida entre adeptos de ambos os clubes, ia decorrida cerca de uma hora de jogo.

A polícia de intervenção teve mesmo de… intervir; e houve bordoadas de primeira, além de uma vedação completamente deitada abaixo por adeptos nortenhos.

Com os 3 pontos hoje conquistados, o Algarve já conta 1596 pontos no campeonato dos campeonatos, onde Olhanense, Farense e Lusitano de Vila Real de Santo António também já fizeram História.

 

Descida ao inferno

6 Agosto 2017

KODAK Digital Still Camera

O Algarve voltou a ter a honra de receber a seleção de fotos da World Press Photo.

No Forum Algarve, em Faro, pudemos ver as fotos premiadas como as melhores fotos do ano.

Vale a pena ir ver e refletir. Vale a pena sofrer um choque perante a miséria e a violência que pontuam pelo mundo fora.

Eu fui ver e saí com a sensação de ter descido ao inferno.

É bom para certos meninos e meninas queques verem o mundo como ele é. É bom para porem os pés na terra e deixarem de viver de fantasias.

 

Agosto a gosto – III

5 Agosto 2017

foto joao xavier - bandeiras na praia de faro

Às vezes, uma olhadela fugaz às bandeiras não basta para percebermos o que elas nos dizem.

Neste caso, na Praia de Faro, a bandeira azul quer dizer que, mesmo que a água às vezes esteja turva, é recomendada; a bandeira do município de Faro quer dizer que a Praia de Faro ainda não pertence a Olhão; a bandeira de Portugal quer dizer que ali é o Estado português que cobra os impostos; a bandeira da União Europeia quer dizer que, apesar de ali se falar muito inglês, o Brexit ainda não chegou; e a bandeira da praia acessível quer dizer que, por muitos riscos que a ponte implique, a bandeira, essa, já ninguém nos tira…

 

Mulheres com tusa – diz Maria Belo

4 Agosto 2017

Foto João Xavier - Assunção Cristas em Faro

Maria Belo, psicanalista e socialista, surpreendeu-me ontem no Público com um bom trabalho sobre as mulheres e a política.

Entre as boas afirmações que faz, eis algumas:

«As mulheres em Portugal são verdadeiras mandonas.»

«As mulheres deviam estar na política por desejo próprio, por tusa, por estratégia, por conquista. E hoje é já assim que algumas delas lá estão, sobretudo à esquerda e no CDS.»

«Ser mulher e política de mão cheia ainda desconcerta muita gente.»

É bem verdade que o mecanismo que impõe quotas de mulheres em listas é perverso. Há já muitas que são chamadas à política não por se destacarem mas simplesmente porque tem de haver mulheres para preencherem a quota.

Isso faz com que seja cada vez mais fácil encontrarmos no poder pessoas como o atual ministra da administração interna, em assunção plena do Princípio de Peter.

O que é pena é que algumas queiram estar na política por tusa! Para isso já nos bastam as aberrações masculinas que vão aparecendo na ribalta…

 

Agosto a gosto – II

3 Agosto 2017

foto joao xavier - lendo na praia

Ler é decifrar. Pode ser apenas entreter.

Ler não é ficar. Pode ser até voar.

Ler não é parar. Pode ser até saltar.

Ler nem sempre é fugir. Pode ser até entrar num labirinto.

Às vezes, mal acabamos de ler já não sabemos o que estivemos a ler.

Às vezes, a leitura é um simples exercício de ocupação do pensamento, um exercício de adestramento…

 

Bronca na política de Olhão

2 Agosto 2017

KODAK Digital Still Camera

A bagunça que se criou no PS de Olhão é das mais interessantes, entre as que rebentaram a propósito das eleições autárquicas prometidas para outubro de 2017.

O PS concelhio não aprovou a recandidatura de António Pina à presidência da Câmara Municipal da cidade cubista… mas, como era de esperar, a direção nacional impôs o autarca eleito como cabeça de lista.

Estalado o verniz, Luciano Jesus, então presidente da concelhia, afastou-se e optou por se candidatar com uma lista «independente».

A paisagem urbana de Olhão já está marcada por este conflito, pois os 2 candidatos referidos são os únicos com grandes outdoors, curiosamente ambos em tons de verde, o que até gera alguma confusão que dificulta a distinção…

 

Agosto a gosto – I

1 Agosto 2017

foto joao xavier - rendilhados ao sol

Adoro rendas, bordados e rendilhados: adoro ver, observar e contemplar.

Gosto de lhes mexer, virar do avesso e apreciar cada pormenor daquela arte divina. No escuro, na penumbra ou (preferencialmente) ao sol…

 

Deputados calados, povo sem voz

31 Julho 2017

foto elisabete lopes - cartaz de isaura pedro

Segundo uma investigação de João Duque, a Assembleia da República custa ao país mais de 72,8 milhões de euros!

Isto dividido por 230 deputados dá cerca de 316 mil euros/ano/deputado! Não é uma conta racional, mas dá para percebermos que a Assembleia da República sai carota…

Vem isto a propósito de uma estatística que mostra melhor a representação parlamentar e a pobreza do seu teor: num ano de legislatura, tivemos 10 deputados que nunca usaram da palavra no plenário!!! Dez!!!…

Uma das caras com que mais engracei foi a Drª Isaura Pedro, médica de Nelas. Foi presidente de Câmara e é agora deputada. Uma das 10 pessoas eleitas que nunca usaram da palavra: ela, Fernando Jesus, Miranda Calha, Ana Oliveira, José Silva, José Rosa, Aguiar Branco, Paula Teixeira da Cruz, Pedro Pinto e Rui Silva.

É verdade que, para alinhar no chorrilho de asneiras, ofensas, gritos e baforadas que ali se ouvem de vez em quando, mais vale estar calado. Mas há que saber remar contra a maré e não elegemos deputados para eles estarem calados. Muito pelo contrário: queremos que eles sejam a nossa voz!…

 

Mudanças no pontapé de canto

30 Julho 2017

KODAK Digital Still Camera

O International Board, que tutela as regras dos jogos de futebol em todo o mundo, vai propor em março de 2018 algumas alterações…

Começo por desconfiar de grandes mudanças, porque o futebol é o desporto-rei com as regras que tem. De qualquer modo, cada proposta deve ser estudada, pois pode, eventualmente, até melhorar o que já é bom.

É o que me parece, no caso dos pontapés de canto.

Até há pouco tempo, havia a esquisitice de a bola ter de estar completamente dentro do quarto de círculo. Já não é assim, o que acabou com pormenores ridículos de os jogadores se verem forçados a recuar a bola 3 ou 4 cm.

O que o International Board agora quer é que o jogador que marca o pontapé de canto possa seguir com a bola, em vez de ser obrigado a dar apenas 1 toque.

Concordo. Quem ganha um pontapé de canto deve gerir o modo de repor a bola em jogo como achar que lhe seja mais útil… e isso só pode criar mais situações de golo, o que é de aplaudir.